CRIANÇAS COM

CARDIOPATIAS

PRECISAM DE ACOMPANHAMENTO​ E CUIDADO ESPECIAL

Fazemos o acompanhamento pré e pós cirúrgico e durante a internação de bebês e crianças, além de acompanhar seu crescimento e desenvolvimento

 

CARDIOPATIAS PEDIÁTRICAS

As cardiopatias (doenças no coração) na faixa etária pediátrica - fase pré-natal, neonatal, infância ou adolescência - podem ser assintomáticas ou se manifestarem por sopro cardíaco associado ou não a outros sintomas. Muitos casos necessitam de intervenção terapêutica imediata em decorrência da gravidade da doença.

 

O cardiologista pediátrico deve ser consultado para check-up cardiológico quando há

. Alterações no ultrassom pré-natal ou teste do coraçãozinho

A descoberta de uma doença do coração do bebê durante a gravidez (ecocardiograma fetal) ou durante o teste do coraçãozinho (obrigatório nas maternidades desde 2014) requer o acompanhamento do cardiologista pediátrico, que oferecerá todos os cuidados necessários para a família, incluindo o diagnóstico, o planejamento da intervenção antes ou após o nascimento e o acompanhamento pós-cirúrgico. Em alguns casos, este acompanhamento perdura por toda infância e vida adulta. 

. Histórico familiar ou fatores de risco

É fundamental procurar um cardiologista pediátrico para investigar e acompanhar o quadro da criança em casos de:

- pais, irmãos ou outros parentes de primeiro grau com problemas no coração;

- pai com infarto antes dos 55 anos de idade ou a mãe antes dos 60 anos de idade;

- mãe com rubéola ou toxoplasmose durante a gestação;

- mãe acima de 35 anos, perdas fetais anteriores, gravidez gemelar ou fertilização in vitro;

- bebê diagnosticado com Síndrome de Down;

- pai, mãe ou criança com hipotireodismo, hipertensão arterial, diabetes ou colesterol alto.

. Sintomas de problemas no coração

 

A detecção precoce das manifestações clinicas (sintomas) e a realização dos exames cardiovasculares no período neonatal, na infância ou na adolescência, são importantes para o diagnóstico, tratamento e boa evolução dos pacientes cardiopatas.

. Necessidade de avaliação física e pré-operatória

Para a segurança da criança, antes de liberar a prática de exercícios físicos ou a realização de qualquer procedimento cirúrgico, é preciso procurar um cardiologista pediátrico para fazer os exames cardiológicos e detectar possíveis riscos. 

SINTOMAS DE CARDIOPATIAS INFANTIS

As principais manifestações de problemas no coração na infância são: 

. Sopro cardíaco (barulho no coração)

Sopro é um barulho que um médico pode detectar quando ausculta (ouve com estetoscópio) o coração de uma criança. Pode indicar um coração totalmente normal (sopro inocente); uma alteração leve no coração que pode se curar sozinha (como o Forame Oval Pérvio, um buraquinho que não fechou e costuma fechar sozinho até os 2 anos); uma doença no coração que precisa de cuidados e tratamento; ou uma doença grave que precisa de cuidados imediatos. O cardiologista pediátrico deve ser consultado para fazer o diagnóstico diferencial.

. Síncope (desmaio)

Síncope é um desmaio: perda súbita e transitória da consciência, acompanhada de perda do tônus postural e seguida de recuperação espontânea. Pode acontecer em casa, na escola ou durante a atividade física. A síncope pode ter diferentes causas. Quando relacionada a problemas cardíacos, resulta da dificuldade do coração em manter a circulação, provocando vasodilatação e bradicardia (coração bate mais devagar), evoluindo para queda da pressão sanguínea e falta de oxigenação no cérebro. O diagnóstico é feito através de anamnese, exame clínico, eletrocardiograma e, às vezes, eletroencefalograma acompanhada ou não de avaliação neurológica. 

. ​Cianose (pele azulada) ou palidez excessiva

Cianose ocorre quando o sangue proveniente do retorno venoso (sangue que vem do corpo para o coração) passa diretamente do lado direito do coração para o esquerdo sem passar antes pelo pulmão, por meio de uma comunicação que não deveria existir entre átrios, ventrículos ou grandes artérias. Isso resulta em insaturação do sangue arterial (sangue que sai do coração para o corpo), ou seja, o sangue é distribuído para o corpo com baixa taxa de oxigênio, o que provoca a cor azulada na pele. É necessário que o quadro seja rapidamente investigado por um cardiologista pediátrico.

. Desconforto respiratório (cansaço, palpitação e dor no peito)

Problemas cardíacos em crianças podem causar desconforto respiratório que se manifesta como cansaço e dor no peito: um bebê que se cansa para mamar - e por isso apresenta baixo ganho de peso; uma criança que se cansa rapidamente ao correr ou brincar, ou mesmo em repouso. Crianças com asma que fazem uso de corticoides a longo prazo também podem apresentar o quadro.

. Arritmias cardíacas (alterações do ritmo cardíaco)

Arritmias cardíacas acontecem por alterações na formação ou condução do estímulo elétrico pelas estruturas do coração. Podem também acontecer pela presença de cardiopatias congênitas ou adquiridas, ou ainda, decorrentes de outras disfunções. São tipos de arritmias a bradicardia (coração bate mais devagar) e a taquicardia (coração bate acelerado/disparado). Todas as crianças que apresentarem algum tipo de arritmia devem ser encaminhadas ao cardiologista infantil.

. Alteração de pressão arterial 

 

A hipertensão arterial (pressão alta) é um importante fator de risco para doenças cardiovasculares, com origem hereditária ou decorrente da obesidade infantil, estilo de vida, dietas hipercalóricas e com conteúdo de sal aumentado. A hipotensão arterial (pressão baixa) pode ser causada por certos distúrbios cardíacos. Por isso, alterações na pressão arterial de crianças devem ser investigadas pelo cardiologista pediátrico.

 

CARDIOPATIAS CONGÊNITAS


 

Durante a gestação, alguns bebês podem apresentar problemas de formação no coração, com alteração em sua estrutura ou função. Essas anormalidades são chamadas de cardiopatias congênitas. Algumas cardiopatias congênitas, denominadas ativas no período fetal, manifestam-se já na vida intrauterina, enquanto outras, denominadas passivas, manifestam-se no período neonatal (primeiros 30 dias de vida). 

Patologias que precisam de acompanhamento:

Patologias que exigem intervenção cirúrgica ao nascer ou nos primeiros dias de vida e posterior acompanhamento:

 

 

 

CARDIOPATIAS ADQUIRIDAS

Bebês e crianças podem ter a estrutura do coração normal, com desenvolvimento e crescimento adequado, mas adquirirem certas doenças no coração e passarem a apresentar sintomas de cardiopatia na infância ou adolescência:

PUERICULTURA DE CRIANÇAS CARDIOPATAS

Damos atenção ao desenvolvimento global do bebê, criança e adolescente com cardiopatia, examinando o paciente rotineiramente e orientando a família. Além de questões básicas como cuidado com o recém-nascido, amamentação, sono, introdução alimentar, hábitos saudáveis, exame físico, crescimento, ganho de peso e outros, fazemos o acompanhamento de questões específicas como:

. Suplementação alimentar

O bebê que cansa para mamar pode ter dificuldade para ganhar peso. Se necessário, orientamos sobre a introdução de suplementos alimentares específicos, para contribuir com o desenvolvimento adequado da criança. 

. Pressão arterial e Saturação de oxigênio

Aferimos rigorosamente a pressão arterial e o nível de oxigênio no sangue da criança cardiopata em toda consulta de rotina, investigando a causa em caso de alterações. 

. Imunização e Prevenção de doenças infecciosas: 

Toda criança cardiopata tem alteração na circulação sanguínea, em sua distribuição para os pulmões e para o organismo. Por isso, se torna mais suscetível a doenças infecciosas, principalmente respiratórias, podendo piorar a doença do coração. Para prevenir complicações, orientamos sobre vacinas específicas para pacientes de risco, além das que constam no Calendário Nacional de Vacinação. 

. Saúde dental

A manutenção da saúde dos dentes da criança cardiopata é foco da nossa atenção, para prevenir o risco de endocardite (entrada de microorganismos como bactérias ou fungos em tecidos do coração).

 
DRA. ALESSANDRA RIVETTI - CRM 141.208
Médica Pediatra, Cardiologista infantil, mãe do Bernardo e moradora de Alphaville
 
 
Como médica e como mãe, sei como é desafiador ter filhos. Por isso, valorizo o sentimento de cada mãe e procuro entender a realidade de cada família. Busco fazer diagnósticos, dar orientações e oferecer alternativas, com conhecimento e rigor científico e, acima de tudo, com ternura e compreensão.
Currículo
corakids alphaville pediatra.png
  • Instagram corakids alphaville
MENSAGEM
-

2019  por Consutti para  Dra. Alessandra Rivetti